Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
 
Disciplinas Interdepartamentais
 
Disciplina: RCG3039 - Práticas Supervisionadas do Adulto I
Supervised Practice in Adult Population I

Créditos Aula: 1
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 15 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2021 Desativação: 31/12/2021

Objetivos
- aplicar conhecimentos relativos às condições crônicas de saúde adulto, com ênfase ao desempenho ocupacional e aos papeis sociais; - desenvolver habilidades de entrevista (objetivo, desenvolvimento de roteiro, habilidades interpessoais) junto a adultos em condições crônicas, compreendendo o cotidiano e a rotina desta população e o desempenho ocupacional e os papeis sociais; - compreender a condição desta população e as ações da terapia ocupacional na atuação na atenção básica em saúde; - identificar os recursos comunitários territoriais e locais possíveis de serem acessados para o fortalecimento da rede de suporte pessoal e social no enfrentamento às condições crônicas; - desenvolver habilidades de terapia ocupacional em ações no sentido de favorecer o empoderamento desta população, na utilização dos recursos comunitários, no reconhecimento de seus direitos de acesso e de participação social.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3223241 - Regina Yoneko Dakuzaku Carretta
 
Programa Resumido
Desenvolvimento de visitas monitoradas a serviços de atenção a pessoa em condição crônica, preparatórias para a realização de contato e entrevista (em locais como hospital dia, serviços de apoio/atenção ao diabético, ao portador de HIV, pacientes oncológicos, ao renal crônico, entre outros); Desenvolvimento de ações supervisionadas envolvendo discussão e definição de sujeitos (adultos em condições crônicas, sejam quanto à saúde física ou saúde mental) a serem entrevistados; Discussão dos dados obtidos e identificação de necessidades relacionadas a desempenho ocupacional e papeis sociais; Identificação de recursos comunitários (territoriais e locais) que favorecem o fortalecimento da rede de suporte pessoal e social; Utilização dos recursos comunitários identificados junto ao publico adulto em condições crônicas.
 
 
 
Programa
1. Terapia ocupacional, condições crônicas, atenção básica à saúde e recursos comunitários 2. Adultos em condição crônica: identificação 3. Definição de sujeitos em condição crônica para desenvolvimento da prática supervisionada 4. Desenvolvimento de entrevistas com adultos em condições crônicas 5. Discussão dos dados obtidos nas entrevistas, análise e identificação de necessidades relacionadas a desempenho ocupacional e papeis sociais; 6. Identificação e contato com recursos comunitários (territoriais e locais) 7. Desenvolvimento de articulação entre os recursos comunitários visando favorecer o fortalecimento da rede de suporte pessoal e social
 
 
 
Avaliação
     
Método
Avaliação processual e formativa, considerando aspectos cognitivos, procedimentais e atitudinais. Aspectos Cognitivos: compreensão dos conceitos relativos às condições crônicas do adulto, desempenho ocupacional e papeis sociais nestas condições, terapia ocupacional e atenção básica em saúde e recursos comunitários considerando esta população. Aspectos procedimentais: identificação de sujeitos com os quais realizarão entrevistas, planejamento e execução para consecução da entrevista; análise dos dados; levantamento dos recursos comunitários adequados a esta condição.
Critério
Critérios: avaliação prática (relatos, roteiro de entrevista; acompanhamento direto em campo; levantamento realizado). Aspectos atitudinais: assiduidade, pontualidade, cumprimento de prazos e tarefas, responsabilidade, cooperação, comunicação, iniciativa, respeito aos colegas, professores, monitores, profissionais relacionados aos recursos comunitários existentes; participação efetiva nas aulas e demais atividades propostas.
Norma de Recuperação
Não oferece recuperação devido à disciplina ser prática e avaliação processual.
 
Bibliografia
     
AOTA. American Association of Occupational Therapy. Occupational Therapy Practice Framework: Domain & Process. 3rd Edition. The American Journal of Occupational Therapy. Volume 68(Supplement 1), March/April 2014. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental. Brasília : Ministério da Saúde, 2013. 176 p. : il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34) CASTILHO, J. C. N. A terapia ocupacional e o serviço residencial terapêutico no município de Belo Horizonte, MG. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 23, n. 3, p. 230-6, set./dez. 2012. CAVALCANTI, A; GALVÃO,C. Terapia Ocupacional – Fundamentação e Prática. Rio de Janeiro – Guanabara Koogan 2007. CORREIA, RL. O ecomapa na prática terapêutica ocupacional: uma ferramenta para o mapeamento das percepções sobre a participação nas redes sociais de suporte. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. (Rio de Janeiro). 2017; 1(1): 67-87. ESQUIVEL, CB; MOREIRA, FF, ATALLA, AS. Qualidade de vida em mulheres que foram atingidas pela hanseníase. Multitemas n. 25, mar. 2002. https://www.multitemas.ucdb.br/multitemas/article/view/839 FARIA-FORTINI, I; BASÍLIO, ML, POLESE,JC; MENEZES,KKP; FARIA, CDCM, SCIANNI,AA; TEIXEIRA-SALMELA, LF. Caracterização da participação social de indivíduos na fase crônica pós-acidente vascular encefálico. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2017 jan./abr.;28(1):71-8. LOBATO B, Teixeira CR, Zago MM, Zanetti ML, Carretta RY, Santana C. Significados da atenção à saúde do trabalhador com diabetes atribuídos pelos adoecidos e profissionais de saúde. Investig Enferm Imagen Desarr. 2017;19(2):177-94. http:// dx.doi.org/10.11144/Javeriana.ie19-2.sast LOPES, R. E. e LEAO, A. Terapeutas Ocupacionais e os centros de convivência e cooperativas – novas ações de saúde. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v.13, n.2, p.56-63. LUSSI, Isabela Aparecida de Oliveira; PEREIRA, Maria Alice Ornellas. Empresa social e economia solidária: perspectivas no campo da inserção laboral de portadores de transtorno mental. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo , v. 45, n. 2, p. 515-521, Apr. 2011 . Available from . access on 07 May 2020. MACHADO, Bento Miguel; DAHDAH, Daniel Ferreira; KEBBE, Leonardo Martins. Cuidadores de familiares com doenças crônicas: estratégias de enfrentamento utilizadas no cotidiano. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos , v. 26, n. 2, p. 299-313, Apr. 2018 . Available from . access on 07 May 2020. MARTINELLI, Siliani Aparecida. A importância de atividades de lazer na Terapia Ocupacional. Cadernos de terapia ocupacional da ufscar, são carlos, jan/abr 2011, v. 19, n.1, p. 111-118 MENDES, Eugênio Vilaça. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012. MOTIZUKI, C., & Mariotti, M. (2014). Percepções de indivíduos com transtornos mentais e familiares sobre o desempenho ocupacional: contribuições da terapia ocupacional. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 25(2), 100-110. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v25i2p100-110 OLIVEIRA, Maria Luiza Valeriano Martins; CARRETTA, Regina Yoneko Dakuzaku. Lazer e Participação Social na Percepção da Pessoa com Deficiência Visual. LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, 23(1), 561-581, 2020. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2020.19802 PARREIRA, M., Cavalcanti, A., Cunha, J. H., & Cordeiro, J. (2014). PAPÉIS OCUPACIONAIS DE INDIVÍDUOS EM CONDIÇÕES REUMATOLÓGICAS. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 24(2), 127-133. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v24i2p127-133 SALLES, Mariana Moraes; BARROS, Sônia. Relações do cotidiano: a pessoa com transtorno mental e sua rede de suporte social. Physis, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, 2011. Disponivel em . Acessado em 08 Jan. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312011000200012. TAVARES, A. A. et al. (RE) Organização do cotidiano de indivíduos com doenças crônicas a partir da estratégia de grupo. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 20, n. 1, p. 95-105, 2012. http://dx.doi.org/10.4322/cto.2012.011
 

Clique para consultar os requisitos para RCG3039

Clique para consultar o oferecimento para RCG3039

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP