Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
 
Disciplinas Interdepartamentais
 
Disciplina: RCG4031 - Terapia Ocupacional Aplicada às Condições da Criança e do Adolescente III
Occupational Therapy Applied to Conditions of Children and Adolescents III

Créditos Aula: 1
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 15 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2021 Desativação:

Objetivos
Espera-se que os estudantes sejam capazes de: - Conhecer e compreender as possibilidades de intervenção do Terapeuta Ocupacional com crianças e adolescentes em contextos clínicos de alta e média complexidade (ambulatorial e hospitalar); - Reconhecer as principais condições clínicas (neurológicas, sensoriais, ortopédicas, mentais, genéticas) que podem impactar o desenvolvimento e aquisição de habilidades de desempenho para ocupações cotidianas significativas; - Identificar os principais protocolos para avaliação das alterações de habilidades motoras motoras e processuais utilizados na clínica da terapia ocupacional; - Desenvolver raciocínio clínico, definindo os objetivos e estratégias terapêutico-ocupacionais; - Conhecer e utilizar o ambiente virtual de ensino-aprendizagem utilizado na disciplina e navegar de acordo com as estratégias de EAD empregadas (aula-invertida; participação em Foruns, Portfólio eletrônico).
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5141942 - Amanda Mota Pacciulio Sposito
 
Programa Resumido
Possibilidades de intervenção do Terapeuta Ocupacional com crianças e adolescentes em contextos clínicos de alta e média complexidade.
 
 
 
Programa
(1) Domínios e Processos da Terapia Ocupacional na intervenção junto a crianças e adolescentes em contextos clínicos de média e alta complexidade ambulatoriais ou hospitalares, mais frequentes (Atraso de desenvolvimento Neuropsicomotor - ADNPM, Distúrbio de Aprendizagem, Síndrome de Down, Deficiência Mental, Paralisia Cerebral, Paralisia Braquial Obstétrica, Distrofia Muscular Progressiva de Duchenne, Mielomeningocele, Artrogripose, Paralisia Cerebral). (2) Classificação da Funcionalidade de crianças com PC – Níveis motores - GMFCS E&R e MACS. (3) Protocolos para avaliação das alterações de habilidades motoras motoras e processuais utilizados na clínica da terapia ocupacional (4) Intervenções terapêuticas ocupacionais junto a crianças e adolescentes - Integração Sensorial - Conceito Bobath - Terapia de Contensão Induzida - Treinamento Intensivo Bimanual de mão-braço – HABIT - Terapia motora de Orientação cognitiva para o desempenho ocupacional (CO-OP).
 
 
 
Avaliação
     
Método
Avaliação processual e formativa, considerando aspectos cognitivos, procedimentais e atitudinais. Avaliação escrita; resenhas de literatura indicada; construção de portfólio (eletrônico).
Critério
Aspectos Cognitivos: Apreensão dos conceitos ligados aos Domínios e Processo da Terapia Ocupacional na intervenção junto a crianças e adolescentes em contextos clínicos de média complexidade ambulatoriais ou hospitalares. Conhecimento dos Protocolos de avaliação utilizados na clínica de terapia ocupacional pediátrica com enfoque em habilidades de desempenho de processo e de interação social, e com enfoque em Ocupações e Compreensão das características da criança ou adolescentes em estudo para definir a escolha dos protocolos. Conhecimento dos métodos de intervenção terapêutico ocupacional junto a crianças e adolescentes. Apreensão do raciocínio clínico na prática terapêutica ocupacional junto a crianças e adolescentes. Avaliação escrita; resenhas de literatura indicada; construção de portfólio (eletrônico). Critérios utilizados: organização; análise-síntese; clareza de conceitos e argumentação lógica, correção na linguagem, integração teoria-prática. Aspectos procedimentais: Apresentação de seminários. Critérios: clareza das apresentações. Aspectos atitudinais: assiduidade, pontualidade, cumprimento de prazos e tarefas, responsabilidade, cooperação, comunicação, iniciativa, respeito aos colegas, professores, monitores; participação efetiva nas aulas e demais atividades propostas.
Norma de Recuperação
É necessário ter, no mínimo, média final 5,0. Se isto não for alcançado, o aluno deverá fazer prova/atividade de recuperação antes do início do próximo semestre letivo. A frequência mínima é 70%. Observação: não existe recuperação para reprovação em aspectos atitudinais.
 
Bibliografia
     
ADAMOVICH, S. V. et al. Sensorimotor training in virtual reality: a review. Neuro Rehabilitation, Philadel-phia, v. 25, n. 1, p. 1-21, 2009. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção à pessoa com paralisia cerebral / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. CAIANA, T L, NOGUEIRA, D. L., LIMA, A. C. D. .A realidade virtual e seu uso como recurso terapêutico ocupacional: revisão integrativa . .Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 24, n. 3, p. 575-589, 2016 CORRER, MT. Benefícios da Terapia de Contensão Induzida em lactentes utilizando protocolo muito modificado. Dissertação de Mestrado. Ribeirão Preto: FMRP-RNC, 2016. CASEIRO, G., MANHO, F., SILVA, D. B. R., PFEIFER, L. I.. Intervenção da Terapia Ocupacional na Síndrome de Cri-du-Chat: estudo de caso. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. , v.21, p.141 - 147, 2013. FLEMING, I. Atlas do desenvolvimento motor normal e seus desvios no lactente. Rio de Janeiro: Atheneu, 2000 KOSCIELNY I. Therasuit - Soft Dynamic Proprioceptive Orthotic. Cerebral Palsy Magazine June 2004 MAGALHÃES, LC. Integração Sensorial: uma abordagem específica de Terapia Ocupacional. IN: Drummond, AF; Rezende, MB Intervenções em terapia ocupacional. Belo Horizonte: UFMG, 2008 DUNN, L. Validation of the CHORES: a measure of school-aged children's participation in household tasks. Scandinavian Journal of Occupational Therapy Volume 11, 2004. DUNN, W. Supporting Children to Participate Successfully in Everyday Life by Using Sensory Processing Knowledge. Infants & Young Children Vol. 20, No. 2, pp. 84–101, 2007 FINNIE, N. A. O manuseio em casa da criança com paralisia cerebral. Manole: São Paulo, 2005. GARCIA NR, PACCIULIO AM, PANÚNCIO-PINTO MP, PFEIFER LI. Intervenção Terapêutica Ocupacional junto a Adolescentes com Câncer em Contexto Hospitalar. Revista Brasileira de Cancerologia 2011; 57(4): 519-524. MAGALHÃES LC Transtornos da coordenação motora e aprendizagem. IN: CAVALCANTI, A; GALVÃO, C. Terapia Ocupacional fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. PFEIFER LI, LORENZETI VMD, NASCIMENTO LC, PANUNCIO-PINTO MP. Estados emocionais de crianças em ambiente hospitalar. Temas sobre Desenvolvimento 19(104):35-41, 2013. PFEIFER, L.I.; PERES, D.B.R. Participação de Crianças com Paralisia Cerebral em Atividades Diárias. In: ISRAEL, V.L; PARDO, M.B.L. Desenvolvimento infantil: Estratégias de Intervenção. Porto Alegre: Redes. p. 59-81, 2013. REBEL, M.F. et al. PROGNÓSTICO MOTOR E PERSPECTIVAS ATUAIS NA PARALISIA CEREBRAL. Rev Bras Crescimento Desenvolvimento Hum, v. 20, n.2, p.342-350, 2010. RABONI, T. E. C. R., SILVA, M. F. M., PFEIFER, L. I.. Intervenção Terapêutica Ocupacional junto à criança com Distrofia Muscular de Duchenne (DMD): um estudo de caso. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. , v.20, p.121 - 127, 2012. Sistema de Classificação da Função Motora Grossa (GMFCS E & R) http://motorgrowth.canchild.ca/en/GMFCS/resources/PORTUGUESE_corrigidoFINALMay12.pdf Sistema de Classificação da habilidade manual para crianças com PC de 4 a 18 anos (MACS) http://www.macs.nu/files/MACS_Portuguese-Brazil_2010.pdf TAUB, E; RAMEY, SL; DELUCA, S; ECHOLS, K. Efficacy of Constraint-Induced Movement Therapy for Children With Cerebral palsy with asymmetric motor impairment. Pediatrics, 113-305; 2004.
 

Clique para consultar os requisitos para RCG4031

Clique para consultar o oferecimento para RCG4031

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP