Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
 
Disciplinas Interdepartamentais
 
Disciplina: RCG4037 - Ocupação Humana e Recursos Terapêuticos IX - Educação
Human Occupation and Therapeutic Resources IX - Education

Créditos Aula: 1
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 15 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
•• Capacitar o estudante a compreender o papel do TO nos contextos educacionais da criança, do adulto e do idoso (desenvolvimento típico e com alterações no desenvolvimento). • Instrumentalizar o estudante para identificar os diversos protocolos de avaliação utilizados em contextos educacionais. • Instrumentalizar o estudante a desenvolver intervenções terapêuticas que possibilitem que o sujeito em questão desenvolva as habilidades de desempenho necessárias para o aprendizado e participação em ambientes escolares • Capacitar o estudante no desenvolvimento do raciocínio clínico, definindo os objetivos terapêuticos significativos e identificando as estratégias e os recursos adequados para atingir os objetivos traçados em relação à ocupação educação. • Discutir as leis que assegurem a justiça ocupacional no contexto educacional
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5141942 - Amanda Mota Pacciulio Sposito
 
Programa Resumido
Fornecer aos estudantes os fundamentos teóricos da terapia ocupacional em contextos educacionais formais e informais. Capacitar o estudante de terapia ocupacional a avaliar e atuar junto a crianças, adolescentes, adultos e idosos de desenvolvimento típico garantindo sua participação na ocupação educação (promoção de saúde, atenção básica) bem como aos sujeitos que possuam risco ou alterações nas habilidades de desempenho motor, de processo e/ou de interação social que causam impacto na ocupação de educação.
 
 
 
Programa
• Educação como ocupação humana o Participação do sujeito na educação formal – em atividades categorias, não acadêmicas, extracurriculares, e participação vocacional. o Participação do sujeito na educação informal – em atividades que forneçam instrução/treinamento em áreas identificadas de interesse o A aprendizagem como ocupação o O acesso à educação como direito • Os processos inclusivos e a Terapia Ocupacional • Avaliações de desempenho e de contexto que forneçam subsídios para estabelecimento de objetivos terapêuticos ocupacionais (Inventário Operacionalizado Portage, School Functional Assessment). • Currículo baseado no brincar: relações entre o brincar e a alfabetização em crianças pré-escolares • A Política Nacional de Educação, LDBs e Legislações correlatas; • Os processos educacionais de jovens e adultos (EJA e Universidade da Terceira Idade) • Tecnologia Assistiva na Educação • Ações do terapeuta ocupacional na escola: atenção básica, promoção de saúde e cidadania (ações no território)
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aspectos Cognitivos: Avaliação escrita; resenhas de literatura indicada; construção de portfólio (eletrônico). Aspectos procedimentais: Apresentação de seminários.; identificação de protocolos adequados; identificação de adaptações e procedimentos. Aspectos atitudinais: observação à partir de checklist elaborado à partir dos critérios (assiduidade, pontualidade, cumprimento de prazos e tarefas, responsabilidade, cooperação, comunicação, iniciativa, respeito aos colegas, professores, monitores, profissionais das instituições envolvidas; participação efetiva nas aulas e demais atividades propostas).
Critério
Aspectos Cognitivos: Apreensão dos conceitos ligados aos Domínios e Processo da Terapia Ocupacional na intervenção em contextos educacionais. Conhecimento dos Protocolos de avaliação utilizados em contextos escolares. Critérios utilizados: organização; análise-síntese; clareza de conceitos e argumentação lógica, correção na linguagem, integração teoria-prática. Aspectos procedimentais: organização; análise-síntese; clareza na descrição dos procedimentos; argumentação lógica, correção na linguagem, integração teoria-prática Aspectos atitudinais: assiduidade, pontualidade, cumprimento de prazos e tarefas, responsabilidade, cooperação, comunicação, iniciativa, respeito aos colegas, professores, monitores; participação efetiva nas aulas e demais atividades propostas.
Norma de Recuperação
É necessário ter, no mínimo, média final 5,0. Se isto não for alcançado, o aluno deverá fazer prova/atividade de recuperação antes do início do próximo semestre letivo. A frequência mínima é 70%.
 
Bibliografia
     
AMERICAN OCCUPATIONAL THERAPY ASSOCIATION (AOTA). Occupational Therapy Practice Framework: Domain and Process, 3nd edition (framework – II). American Journal of Occupational Therapy, v.68, supl1, s.1-48, 2014. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 13ª. Edição. Brasília: BDCD, 2016. COSTER, W.J. et al. School Function Assesment: user manual. San Antonio, Texas: Therapy Skill Builders, 1998. CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS. “Declaração de Salamanca”. Salmanca, 1994. Brasília, CORDE, 1994. MEC: Secretaria de educação especial. Desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais de alunos com deficiência física/neuromotora. Brasília: MEC, 2005. ROCHA, E. F.; CASTIGLIONI, M. C.; VIEIRA, R. C. A inclusão de crianças com deficiência na escola comum: reflexões sobre o papel da Terapia Ocupacional. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade São Paulo, v. 12, n. 1/3, p. 8-14, 2001. TOYODA, C. Y.; LOURENÇO, G. F. Educação inclusiva: o contexto da terapia ocupacional. In: ALMEIDA, M. A.; MENDES, E. G; HAYASHI, M. C. P. I. Temas em Educação Especial: Múltiplos olhares. Araraquara, SP: Junqueira & Marin; Brasília, DF: CAPES – PROESP, 2008, p. 44-52. TOYODA, C. Y., MENDES, E. G., LOURENÇO, G. F., AKASHI, L. T. O contexto multidisciplinar da prática da terapia ocupacional frente o paradigma da inclusão escolar. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, v.15, p.121-130, 2007. ROCHA, E. F. A Terapia Ocupacional e as ações na educação. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v.18, n. 3, p.122-127, set./dez. 2007 MUNGUBA, M. C. Inclusão escolar. In: CAVALCANTI, A.; GALVÃO,C. (org.). Terapia ocupacional: fundamentação & prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. WILSON, B.N., CRAWFORD, S.G., GREEN, D., ROBERTS, G., AYLOTT, A., & KAPLAN, B. (2009). Psychometric Properties of the Revised Developmental Coordination Disorder Questionnaire. Physical & Occupational Therapy in Pediatrics, 29(2):182-202. PASCULLI, A. G.; HIRAGA, C. Y.; PELLEGRINI, A. M. Tradução transcultural do Minnesota Handwriting Assessment para o contexto brasileiro Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 25, n. 1, p. 95-104, 2017
 

Clique para consultar os requisitos para RCG4037

Clique para consultar o oferecimento para RCG4037

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP