Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto
 
Economia
 
Disciplina: REC3402 - Desenvolvimento e Pensamento Econômico Brasileiro
History of Brazilian Economic Thought

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2010 Desativação:

Objetivos
Ao longo do século XX o Brasil transitou de uma economia agro-exportadora para uma economia de base industrial. Tal movimento foi acompanhado por um debate longo e abrangente, envolvendo vários tipos de discussões sobre o papel do setor exportador brasileiro no desenvolvimento, o papel e a estrutura ao Estado necessária a este desenvolvimento, as condições e formatos das políticas monetárias e fiscais ente outras. Estes debates tinham raízes nos debates imperiais e da República Velha e ganharam novo fôlego durante o “ciclo ideológico do desenvolvimentismo”, que se originou em 1930, experimentou um auge a partir de 1945 e entrou em crise no início da década de 1960. Nesse período decisivo, em que se lançaram as bases da configuração atual do nosso sistema produtivo, pensadores com claros compromissos de ação imaginaram novos caminhos para uma sociedade mutante, associando suas idéias econômicas a diferentes projetos de modernização do Brasil. Durante a ditadura militar estes debates mudaram de formato e chegam aos dias de hoje na chamada Nova Republica marcados pelas novas condições da economia internacional com a globalização e suas crises e os novos estágios e problemas em uma economia não mais essencialmente agro-exportadora mas que ainda enfrenta problemas e possui diferentes opções para a continuidade ou a retomada do seu desenvolvimento.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
64026 - Amaury Patrick Gremaud
 
Programa Resumido
Análise das reflexões sobre a evolução do desenvolvimento econômico brasileiro feita pelos principais pensadores nacionais de modo a se capacitarem a situar os principais debates que envolvem o tema e a se posicionarem criticamente dentro deste.
 
 
 
Programa
1. O pensamento econômico durante a fase agro-exportadora
a) agraristas x industrialitas
b) papelistas x metalistas
c) unitaristas x federalistas
2. Os anos 30 e 40: as interpretações do Brasil e a retomado do industrialismo
a) as bases intelectuais da política varguista
b) o debate sobre o planejamento : Gudin x R Simonsen
c) os historiadores e as raízes históricas do Brasil
3. A Cepal e o estruturalismo brasileiro
a) As teses sobre o desenvolvimento latino americano de Prebisch e a criação da Cepal
b) O modelo de substituição de importação
c) A visão estruturalista sobre inflação
d) A proposta de planejamento, proteção e integração regional da Cepal
e) A evolução do pensamento cepalino
4. O debate entre as diferentes correntes do pensamento econômico no Brasil: 1945-64
a) O pensamento liberal de Gudin e Bulhões
b) As diferentes visões desenvolvimentistas:
i. O desenvolvimentismo com base no setor privado: Roberto Simonsen e Almeida Magalhães
ii. O desenvolvimentismo estatal não nacionalistas: Roberto Campos
iii. O desenvolvimentismo Nacionalista: Celso Furtado
c) Ignácio Rangel: um pensador outsider
d) Divergências no seio socialista
i. As diferentes fases e posições dentro do Partido Comunista
ii. As criticas marxistas ao pensamento comunista brasileiro
iii. As teses imperialistas
5. Dos anos 60 aos 80: revisões teóricas, modelos autoritários e a questão da inflação
a) A revisão do desenvolvimentismo: a teoria da dependência
b) O pensamento econômico oficial no Estado Autoritário: convergências e divergências
c) A tese do capitalismo Tardio
d) Desenvolvimento e autoritarismo
e) O problema da inflação: tratamento de choque, gradualismo e inercia
6. Os debates sobre desenvolmimento na Nova República
a) Reformas institucionais: as diferentes visões sobre o reformismo liberal
b) Monetaristas x desenvolvimentistas em um mundo globalizado: qual o pale das políticas monetárias e fiscais ?
 
 
 
Avaliação
     
Método
A critério do professor.
Critério
A critério do professor. Aprovação com nota igual ou superior a 5,0 e mínimo de 70% de freqüência.
Norma de Recuperação
A nota final para alunos que fizerem a reavaliação será a média simples entre a nota da prova de reavaliação e a média final alcançada antes da prova de reavaliação.
 
Bibliografia
     
BIELSCHOWSKY, Ricardo Pensamento Econômico Brasileiro. Rio de Janeiro: Contraponto: 2003
COZAC, L., BIDERMAN, C. e REGO, J.M. Conversas com economistas brasileiros. São Paulo Ed 34, 2000.
GREMAUD, A. Das Controvérsias Teóricas à Política Econômica: Pensamento econômico e Economia Brasileira no segundo império e na primeira republica. Tese de doutorado, 1997
MANTEGA, Guido. A economia política brasileira. 7a ed. Petrópolis: Vozes, 1992
SOLA, L. Idéias econômicas, decisões políticas: desenvolvimento e estabilidade. São Paulo: Edusp, 2000.

14. Bibliografia complementar:

ABREU, Marcelo de Paiva (Org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1989.
ABREU, Marcelo de Paiva. O Brasil e a economia mundial, 1930-1945. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
AGUIRRE, Basília Maria Baptista & SADDI, Fabiana da Cunha. “Uma alternativa de interpretação do II PND”. Revista de Economia Política, vol. 17, no 4 (68), out./nov. 1997, p. 78-98.
AGUIRRE, Basília Maria Baptista & SADDI, Fabiana da Cunha. “A fantasia política ou a política da fantasia?”. Revista de Economia Política, vol. 18, no 2 (70), abr./jun. 1998, p. 145-147.
ARIDA, Pérsio (Org.). Dívida externa, recessão e ajuste estrutural; o Brasil diante da crise. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
ARIDA, Pérsio & REZENDE, André Lara. “Recessão e taxa de juros: o Brasil nos primórdios da década de 1980”. Revista Brasileira de Economia, vol. 5, no 1, jan./mar. 1985, p. 5-20.
BACHA, Edmar Lisboa. Política econômica e distribuição de renda. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.
BACHA, Edmar Lisboa. “Choques externos e perspectivas de crescimento: o caso do Brasil - 1973/89”. In: Pesquisa e Planejamento Econômico, dez. 1984.
BACHA, Edmar Lisboa. Os mitos de uma década: ensaios de economia brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.
BAER, Mônica. O rumo perdido: a crise fiscal e financeira do Estado brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.
BAER, Werner. A industrialização e o desenvolvimento econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1966.
BATISTA Jr., Paulo Nogueira. Mito e realidade da dívida externa brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
BATISTA Jr., Paulo Nogueira. Da crise internacional à moratória brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.
BAUMANN, Renato. (org.). O Brasil e a economia global. Rio de Janeiro: Campus, 1996.
BELLUZO, Luiz Gonzaga de Mello & COUTINHO, Renata (Orgs.). Desenvolvimento capitalista no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1985. 2 vols.
BERGSMAN, J. “A política comercial no pós-guerra”. In: VERSIANI, Flávio Rabelo & BARROS, José Roberto Mendonça de (Orgs.). Formação econômica do Brasil: a experiência de industrialização. São Paulo: ANPEC/ Saraiva, 1977, p. 391-410.
BERGSTEN, Fred & SIMONSEN, Mário Henrique. Brasil e a nova ordem econômica internacional. Rio de Janeiro, Expressão e Cultura/FGV, 1991.
BIER, Amauri G, PAULANI, Leda & MESSENBERG, Roberto. O heterodoxo e o pós-moderno: o cruzado em conflito. São Paulo: Paz e Terra, 1987.
BIELSCHOWSKY, Ricardo. “Evolución de las ideas de la CEPAL”. Revista de la CEPAL, numero extraordinario – 1998, p. 21-45.
BONELLI, Régis (org.). Ensaios sobre política econômica e industrialização no Brasil. Rio de Janeiro: SENAI, 1996.
BONELLI, Régis & MALAN, Pedro S. “Os limites do possível: notas sobre balanço de pagamentos e indústria nos anos 70”. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro: IPEA, ago. 1976, 6(2), p. 353-406.
BUARQUE, Cristovam. Colapso da modernidade brasileira e uma proposta alternativa. 3a ed. São Paulo, Paz e Terra, 1992.
CAMARGO, Aspásia; ARAÚJO, João Hermes Pereira de & SIMONSEN, Maria Henrique. Oswaldo Aranha – a estrela da revolução. Rio de Janeiro: Mandarim, 1996.
CANO, Wilson. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil, 1930-1995. 2a. ed. Campinas: UNICAMP, 1998.CARDOSO, Eliana A. & FISHLOW, Albert. Macroeconomia da dívida externa brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1989.
CASTRO, Antonio Barros de. O capitalismo ainda é aquele. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1979.
CASTRO, Antonio Barros de & SOUZA, Francisco Eduardo Pires. A economia brasileira em marcha forçada. 2a ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.
COUTINHO, Luciano G. & BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. “Política econômica, inflexões e crise: 1974-1981”. In: COUTINHO, Renata & BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. São Paulo: Brasiliense, 1982, vol. 1, p. 159-193.
CRUZ, Paulo Davidoff. “Notas sobre o endividamento externo brasileiro nos anos setenta”. In: COUTINHO, Renata & BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. São Paulo: Brasiliense, 1983, vol. 2, p. 59-106.
CRUZ, Paulo Davidoff. Endividamento externo e transferência de recursos reais ao exterior: os setores público e privado na crise dos anos oitenta. Campinas: IE/UNICAMP, 1993.
DEAN, Warren. “O comércio do café gera a indústria”. In: PELÁEZ, Carlos Manuel (Coord.). Ensaios sobre café e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1973.
DIAS, Guilherme Leite da Silva & AGUIRRE, Basília Maria. “Crise político-econômica: as raízes do impasse”. Estudos Avançados, vol. 6, n. 14, jan./abr. 1992.
DIB, Maria de Fátima Serro Pombal. Importações brasileiras: políticas de controle e determinantes da demanda. Rio de Janeiro: BNDES, 1985.
DOELLINGER, Carlos von. “Endividamento e desenvolvimento: algumas lições da história”. Pesquisa e Planejamento Econômico. 6(2), ago. 1976, p. 407-430.
DOELLINGER, Carlos von. “Introdução”. In: IPEA/INPES. A controvérsia do planejamento na economia brasileira. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977.
DRAIBE, Sônia Miriam. Rumos e metamorfoses: um estudo sobre a constituição do Estado e as alternativas da industrialização no Brasil, 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.
FARO, Clóvis de (org.). Plano Collor: avaliações e perspectivas. Rio de Janeiro: LTC-Livros Técnicos e Científicos Ed., 1990.
FIGUEIREDO, Ferdinando. “As transformações do pós-guerra e o pensamento econômico da CEPAL”. Revista de Economia Política, vol. 10, n. 4 (40), out./dez. 1990, p. 138-150.
FIORI, José Luís. Leitura política de uma industrialização tardia. Rio de Janeiro: IEI/UFRJ, 1990.
FISHLOW, Albert. “Origens e conseqüências da substituição de importações no Brasil”. In: VERSIANI, Flávio Rabelo & BARROS, José Roberto Mendonça de (orgs.). Formação econômica do Brasil: a experiência de industrialização. São Paulo: Saraiva, 1977, p. 7-40.
FISHLOW, Albert. “A economia política do ajustamento brasileiro aos choques do petróleo: uma nota sobre o período 1974/84”. Pesquisa e Planejamento Econômico, 16(3), dez. 1986, p. 507-550.
FONSECA, Pedro Cezar Dutra. Vargas: o capitalismo em construção - 1906-1954. São Paulo: Brasiliense, 1989.
FRANCO, Gustavo H. B. “A inserção externa e o desenvolvimento”. Revista de Economia Política, v. 18, no 3 (71), p. 121-147, jul./set. 1998.
FURTADO, Celso. Análise do “modelo” brasileiro. 7a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 14a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.
FURTADO, Celso. Fantasia desfeita. 2a ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1989.
FURTADO, Celso. Brasil: a construção interrompida. São Paulo, Paz e Terra, 1992.
GIAMBIAGI, Fabio & MOREIRA, Maurício Mesquita (Orgs.). A economia brasileira nos anos 90. Rio de Janeiro: BNDES, 1999. << site: http://www.bndes.gov.br/conhecimento/livro/eco90__a.pdf >>
GIAMBIAGI, Fabio et al. (Orgs.). Economia brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.
GOLDSMITH, Raymond W. Brasil 1850-1984: desenvolvimento financeiro sob um século de inflação. São Paulo: Harper & Row do Brasil, 1986.
GREMAUD, Amaury Patrick & PIRES, Julio Manuel. “’Metas e Bases’ e I Plano Nacional de Desenvolvimento – I PND (1970-1974)”. In: KON, Anita (org.) Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999, p. 41-66.
GREMAUD, Amaury Patrick & PIRES, Julio Manuel. “II Plano Nacional de Desenvolvimento – II PND (1975-1979)”. In: KON, Anita (org.) Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999, p. 67-101.
GRUPO DE TRABALHO CEPAL/BNDE. Esboço de um programa preliminar de desenvolvimento para a economia brasileira (1955-1962). In: VERSIANI, Flávio Rabelo & BARROS, José Roberto Mendonça de (orgs.). Formação econômica do Brasil: a experiência de industrialização. São Paulo: Saraiva, 1977, p. 281-291.
GUDIN, Eugênio & SIMONSEN, Roberto. A controvérsia do planejamento na economia brasileira. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977.
IPEA. Perspectivas da economia brasileira - 1994. Rio de Janeiro: IPEA, 1993. 2 vol.
KON, Anita. “O Plano Cruzado”. In: KON, Anita (org.). Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999, p. 103-121.
LACERDA, Antônio Côrrea de. “Plano Real: entre a estabilização duradoura e a vulnerabilidade externa”. In: KON, Anita (org.). Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999, p. 195-224.
LAFER, Celso. “O planejamento no Brasil: observações sobre o Plano de Metas (1956-1961)”. In: LAFER, Betty Mindlin (org.). Planejamento no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1970, p. 29-50.
LAFER, Celso. JK e o Programas de Metas (1956-1961) - Processo de planejamento e sistema político no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2002.
LANGONI, Carlos Geraldo. Distribuição de renda e desenvolvimento econômico do Brasil. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1973.
LANGONI, Carlos Geraldo. Distribuição da renda: resumo da evidência. Rio de Janeiro: IBRE/FGV, 1974.
LEFF, Nathaniel H. Política econômica e desenvolvimento no Brasil – 1947-1964. São Paulo: Perspectiva, 1977.
LESSA, Carlos. “Visão crítica do II Plano Nacional de Desenvolvimento”. Revista Tibiriçá, Ano II, no 6, jan./mar. 1977.
LESSA, Carlos. Quinze anos de política econômica. 2a ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.
LOPES, Francisco. Choque heterodoxo, combate á inflação e reforma monetária. Rio de Janeiro: Campus, 1986.
LOPES, Francisco & MODIANO, Eduardo M. “Indexação, o choque externo e nível de atividade: notas sobre o caso brasileiro”. Pesquisa e Planejamento Econômico, abr. 1983.
MACEDO, Roberto Brás M. “Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social (1963-1965)”. In: LAFER, Betty Mindlin (Org.). Planejamento no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1970, p. 51-68.
MACEDO, Roberto Brás M. “Uma revisão crítica da relação entre a política salarial pós-64 e o aumento da concentração de renda na década de 1960”. Estudos Econômicos, São Paulo: IPE/USP, vol. 6, n. 1, 1976.
MANTEGA, Guido. A economia política brasileira. 7a ed. Petrópolis: Vozes, 1992.
MARTONE, Celso Luís. “Análise do Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG) (1964-1966)”. In: LAFER, Betty Mindlin (Org.). Planejamento no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1970, p. 69-89.
MELO, Fernando Homem de. O problema alimentar no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
MORAES, Antônio Carlos de. “Plano Brasil Novo”. In: KON, Anita (org.). Planejamento no Brasil II. São Paulo: Perspectiva, 1999, p. 167-194.
NEUHAS, Paulo (Coord.). Economia brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980.
PAULANI, Leda Maria. “A questão da estabilização nos anos 80: um enfoque institucional”. In: SOLA, Lourdes & PAULANI, Leda Maria. Lições da década de 80. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Genebra: UNRISD, 1995, p. 93-104.
PIRES, Julio Manuel. “A política salarial no contexto do Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG): 1964/67”. Revista de Economia. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, no 20, ano 22, 1996, p. 69-93.
PIRES, Julio Manuel. A política social no período populista. São Paulo: IPE/USP, 1995. (Ensaios Econômicos, 81).
RAMOS, Lauro R. A. & REIS, José Guilherme Almeida. “Distribuição da renda: aspectos teóricos e o debate no Brasil”. In: CAMARGO, José Márcio & GIAMBIAGI, Fábio. Distribuição de renda no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.
REGO, José Márcio. Inflação inercial, teorias sobre inflação e o Plano Cruzado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.
REZENDE, André Lara. “A política brasileira de estabilização, 1963/1968”. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro: IPEA, dez. 1982, p. 757-806.
SAES, Flávio Azevedo Marques de. “A controvérsia sobre a industrialização na Primeira República”. Estudos Avançados, v. 3, no 7, set./dez. 1989, p. 20-39.
SALLUM Jr., Brasílio & KUGELMAS, Eduardo. “O Leviatã acorrentado: a crise brasileira dos anos 80”. In: SOLA, Lourdes (Org.). Estado, mercado e democracia: política e economia comparadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993, p. 280-299.
SCHWARTSMAN, Alexandre. Auge e declínio do Leviathan – mudança estrutural e crise na economia brasileira. São Paulo, mimeo, 1991. Dissertação de mestrado apresentada ao IPE-USP.
SENNA, José Júlio. Tempos de incerteza: a economia brasileira nos anos 80. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1989.
SERRA, José. “Ciclos e mudanças estruturais na economia brasileira do pós-guerra”. In: COUTINHO, Renata & BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. São Paulo: Brasiliense, 1982, vol. 1, p. 56-121.
SILBER, Simão. “Análise da política econômica e do comportamento da economia brasileira durante o período 1929/1939”. In: VERSIANI, Flávio Rabelo & BARROS, José Roberto Mendonça de (orgs.). Formação econômica do Brasil: a experiência de industrialização. São Paulo: Saraiva, 1977, p. 173-207.
SILVA, Adroaldo Moura da. Distribuição de renda e senso comum. São Paulo: IPE/USP, 1978. (Ensaios Econômicos no 10).
SILVA, Adroaldo Moura da. “Evolução recente da economia brasileira”. Estudos Econômicos, v. 9, n.3, p. 7-60, set./dez. 1979.
SIMONSEN, Mário Henrique. Inflação: gradualismo vs. tratamento de choque. Rio de Janeiro: APEC, 1970.
SIMONSEN, Mário Henrique. Brasil e suas perspectivas econômicas. Brasília: Ministério da Fazenda, 1976.
SIMONSEN, Mário Henrique. Trinta anos de indexação. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 1995.
SIMONSEN, Mário Henrique & CAMPOS, Roberto de Oliveira. A nova economia brasileira. Rio de Janeiro, José Olympio, 1974.
SINGER, Paul. O milagre brasileiro: causas e conseqüências. São Paulo: CEBRAP, 1972.
SOLA, Lourdes. “O golpe de 37 e o Estado Novo”. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em perspectiva. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988, p. 256-282.
SOLA, Lourdes. “Estado, regime fiscal e ordem monetária: qual Estado?” In: SOLA, Lourdes & PAULANI, Leda Maria. Lições da década de 80. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Genebra: UNRISD, 1995, p. 29-74.
SUZIGAN, Wilson. Indústria brasileira - origem e desenvolvimento. São Paulo: Brasiliense, 1986.
SUZIGAN, Wilson. A Política Industrial Brasileira Após uma Década de Estagnação. Economia e Sociedade, n. 1, p. 89-109, agosto/1992.
TAVARES, Maria da Conceição. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro. 7a ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
TAVARES, Maria da Conceição & BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. “Notas sobre o processo de industrialização recente no Brasil”. In: COUTINHO, Renata & ELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello. Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. São Paulo: Brasiliense, 1982, vol. 1, p. 122-140.
TAVARES, Maria da Conceição & FIORI, José Luís. Desajuste global e modernização conservadora. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.
TOLIPAN, Ricardo & TINELLI, Artur Carlos. A controvérsia sobre distribuição de renda. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.
VELLOSO, João Paulo dos Reis. O último trem para Paris. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.
VELLOSO, João Paulo dos Reis. “A fantasia política: a nova alternativa de interpretação do II PND”. Revista de Economia Política, vol. 18, no 2 (70), abr./jun. 1998, p. 133-144.
VIANNA, M.L.T.W. A administração do milagre: o Conselho Monetário Nacional, 1964-1974. Petrópolis: Vozes, 1987.
VIANNA, Sérgio Besserman. “As relações Brasil-EUA e a política econômica do segundo governo Vargas”. Revista Brasileira de Economia. 40(3), jul./set. 1986, p. 193-210.
VIANNA, Sérgio Besserman. A política econômica no segundo governo Vargas (1951-1954). Rio de Janeiro: BNDES, 1987.
VILLELA, Annibal Villanova & SUZIGAN, Wilson. Política do governo e crescimento da economia brasileira: 1889-1945. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1973.
WERNECK, Rogério L. F. “Poupança estatal, dívida externa e crise financeira do setor público”. Pesquisa e Planejamento Econômico, 16(3), dez. 1986, p. 551-574.
ZINI Jr., Álvaro Antonio. Taxa de câmbio e política cambial no Brasil. São Paulo: EDUSP.
 

Clique para consultar os requisitos para REC3402

Clique para consultar o oferecimento para REC3402

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP