Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Engenharia de São Carlos
 
Hidráulica e Saneamento
 
Disciplina: SHS0369 - Ecossistemas Aquáticos, Terrestres e Interfaces I
Aquatic, Terrestrial and Transitional Ecosystem I

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 45 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2023 Desativação:

Objetivos
- Compreender os conceitos fundamentais relacionados aos Ecossistemas Aquáticos, Terrestres e Interfaces, relacionando a sua estrutura e funcionamento;
- Utilizar técnicas e metodologias de campo e laboratório para análise dos ecossistemas aquáticos, terrestres e interfaces;
- Explicar e avaliar dados de qualidade dos ecossistemas aquáticos por meio de análise da riqueza, dominância e abundância faunísticas, integrando à análise os padrões ambientais e a legislação pertinente.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
6593514 - Juliano Jose Corbi
2085743 - Maria do Carmo Calijuri
 
Programa Resumido
Riqueza de espécies nos sistemas ecológicos (aquáticos continentais, marinho, terrestre e interfaces). Populações e comunidades em gradientes geográficos; ecotones; efeito de borda. Estratégias de desenvolvimento dos ecossistemas. Sucessão de espécies. Clímax e equilíbrio nos ecossistemas.
 
 
 
Programa
Conceito de ecossistema. Estrutura e funcionamento do ecossistema. Classificação dos ecossistemas. Caracterização dos ecossistemas: aquáticos continentais (naturais e artificiais): córregos, rios, lagos e reservatórios; interfaces. Caracterização do ecossistema marinho e interfaces. Caracterização dos ecossistemas terrestres e interfaces. Ciclagem de materiais nos ecossistemas ecológicos (aquáticos continentais, marinho e terrestre e interfaces). Populações e comunidades em gradientes geográficos; ecotones; efeito de borda. Estratégias de desenvolvimento dos ecossistemas. Sucessão de espécies. Clímax e equilíbrio nos ecossistemas.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Para se avaliar a aprendizagem do estudante, considerando-se os objetivos da disciplina, serão utilizados diferentes métodos, incluindo-se provas, relatórios de práticas laboratoriais e trabalhos (tais como atividades de campo e laboratório e aplicações em estudos de caso). ATIVIDADES DISCENTES: participar das aulas teóricas, visitas técnicas, trabalho de campo e elaboração de relatórios.
Critério
Duas provas e apresentação de seminários sobre as atividades de campo e laboratório. Provas: 50%. Seminários: 50%. Média Final: Prova 1 + Prova 2 + Seminário dividido por 3. Provas: valor máximo 10. Seminários: valor máximo 10.
Norma de Recuperação
Os critérios de avaliação da recuperação devem ser similares aos aplicados durante o semestre regular do oferecimento da disciplina; 1) A nota final (MF) do aluno que realizou provas de recuperação dependerá da média do semestre (MS) e da média das provas de recuperação (MR), como segue: d) MF=5 se 5 ≤MR ≤ (10 - MS); e) MF = (MS + MR) / 2 se MR > (10 – MS) f) MF = MS se MR < 5. 2) O período de recuperação das disciplinas deve se estender do início até um mês antes do final do semestre subsequente ao da reprovação do aluno em primeira avaliação.
 
Bibliografia
     
Câmara, C. D. & Calijuri, M. C. (2022) – Florestas, Água e Serviços Ecossistêmicos: uma
abordagem para o ensino superior. Todas as Musas, São Paulo: 45p.
Corson, W.H. (1993) - Manual global de ecologia: o que você pode fazer a respeito da crise do
meio ambiente. Augustus. São Paulo. 413p.
Ecosystems and Human Well-Being. Biodiversity Synthesis. Millenium Ecosystem Assessment. World Resources Institute, Washington, DC. 2005.
Krebs, C.J. (1972) - Ecology: The experimental analysis of distribution and abundance.
Harper & Row, New York. 694p.
Margalef, R. (1977) - Ecologia. 2a. Ed. Ediciones Omega S.A. Barcelona. 951p.
Odum, E.P. (1988) - Ecologia. Editora Guanabara S.A. Rio de Janeiro. 434p.
Peters,R.H. (1991) - A critique for ecology. Cambridge University Press. 366p.
Primack R. B., Rodrigues E. (2001). Biologia da Conservação. Londrina, 328p.
Ricklefs, R. R. (2003). A economia da natureza. 5ª ed. Guanabara Koogan, 542 p.
Townsend, C.R., Begon, M. & Harper, J.L. (2006). Fundamentos em Ecologia. 2ª ed., Artmed, 592p.
 

Clique para consultar os requisitos para SHS0369

Clique para consultar o oferecimento para SHS0369

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP