Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Licenciatura em Ciências Exatas - São Carlos
 
Licenciatura em Ciências Exatas
 
Disciplina: SLC0630 - Psicologia da Educação I
Psychology of Education I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação: 14/07/2024

Objetivos
Os principais objetivos desta disciplina são estudar e analisar algumas das principais teorias de aprendizagem de modo que o licenciando identifique o processo ensino-aprendizagem como complexo e dinâmico; e discutir temáticas relacionadas com o cotidiano escolar, de um ponto de vista psicológico.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
53671 - Jose Fernando Fontanari
 
Programa Resumido
- Importância e caracterização da Psicologia da Educação; 
- Psicologia do desenvolvimento da criança e do adolescente; 
- O comportamentalismo; 
- O movimento das concepções alternativas; 
- Teorias interacionistas de Piaget e Vygotsky; 
- Aprendizagem significativa; 
- Mapas conceituais;
 
 
 
Programa
- Importância e caracterização da Psicologia da Educação; 
- Psicologia do desenvolvimento da criança e do adolescente; 
- O comportamentalismo; 
- O movimento das concepções alternativas; 
- Teorias interacionistas de Piaget e Vygotsky; 
- Aprendizagem significativa; 
- Mapas conceituais.

Atividades dirigidas para o desenvolvimento de "Práticas como Componentes Curriculares" envolvem:  
1)	Vivência em Educação Especial 
A Educação Especial  ocupa-se do atendimento e da educação de pessoas com deficiência e é uma aplicação importante de várias teorias psicológicas da aprendizagem, desde métodos comportamentalistas como  a Análise Comportamental Aplicada  (McEachin, Smith & Lovaas, 1993) até a política atual de  inclusão,  inspirada no paradigma vygotskyano de um desenvolvimento cognitivo mediado por práticas culturais e sociais (Vygotsky, 1989; Freire Costa, 2006; Smagorinsky, 2012).
Os alunos realizarão pesquisa teórica sobre as principais metodologias utilizadas na educação especial e suas especificidades para as várias deficiências (10 horas). O conhecimento teórico será complementado e confrontado com visitas às instituições especializadas beneficentes da região (APAE e ACORDE) bem como às escolas públicas e privadas onde haja esforços concretos de inclusão do aluno especial (5 horas).
2)	Autoeficácia de professores e alunos
Auto-eficácia é a convicção de uma pessoa de ser capaz de realizar uma tarefa específica, mesmo que ela desconheça os meios para realizá-la (Bandura, 1977). A autoeficácia, medida através de questionários específicos para cada atividade, está fortemente correlacionada com o esforço despendido na atividade e, portanto, no desempenho final do sujeito. Nesse sentido, esse conceito tem sido muito útil no contexto educacional, sendo usado como previsor de desempenho de alunos (Pintrich e Schunk, 1996) e professores (Macedo, 2009).
Dada a hipotética importância da auto-eficácia na educação, os alunos irão aprofundar-se no estudo teórico desse conceito (10 horas) e realizarão entrevistas com coordenadores pedagógicos das escolas públicas e privadas da região a fim de avaliar o grau de conhecimento desses profissionais sobre a autoeficácia bem como seus julgamentos sobre a relevância prática desse conceito. Como complemento, os alunos aplicarão questionários de autoeficácia para os calouros e docentes de algumas disciplinas específicas do curso de Licenciatura de Ciências Exatas (5 horas).
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivo-dialogadas, seminários, leitura dirigida de textos, discussões em grupo, atividades elaboradas pelos licenciandos.
Critério
O aluno será avaliado através das atividades desenvolvidas ao longo do curso, das reflexões por escrito a serem entregues sobre as mesmas, de seminários em duplas e de provas individuais.
Norma de Recuperação
A nota da recuperação será obtida pela média aritmética entre a nota do semestre e a nota da prova de recuperação cobrindo todo o conteúdo.
 
Bibliografia
     
AQUINO, J. G. Do cotidiano escolar: ensaios sobre a ética e seus avessos. São Paulo: Summus, 2000.
AQUINO, J. G. (Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996.
AQUINO, J. G. (Org.). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996.
ARANTES, V. A. A. Inclusão escolar. São Paulo: Summus, 2006.
CASTORINA, J. A. Piaget-Vygotsky novas contribuições para o debate. São Paulo: Ática, 1995.
FLAVELL, J. A. A psicologia do desenvolvimento de Jean Piaget. São Paulo: Pioneira, 1975.
HAYDT, R. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Ática, 2000.
LIPP, M. (Org.). O stress do professor. Campinas: Papirus, 2003.
LUCKESI, C. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 2002.
MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.
MOREIRA, M. A.; MASINI, E. F. Aprendizagem significativa a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1985.
MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.
OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1995. 
SALVADOR, C. C. et al. Desenvolvimento Psicológico e educação. Psicologia da Educação. v. 2. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
SALVADOR, C. C. et al. Psicologia do ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.
MCEACHIN, J.J., SMITH, T., LOVAAS, O..I. "Long-term outcome for children with autism who received early intensive behavioral treatment". Am J Ment Retard. 97 (4): 359–72,  1993. 
VYGOTSKY, L.S. (1989) Obras completas. Tomo cinco: Fundamentos de Defectologia. Havana: Editorial Pueblo Y Educación.
FREIRE, COSTA DA. “Superando limites: a contribuição de Vygotsky para a educação especial”. Revista Psicopedagogia 23 (72): 232-240, 2006.
SMAGORINSKY, P. (2012). “Vygotsky, “Defectology," and the Inclusion of People of Difference in the Broader Cultural Stream”.
Journal of Language and Literacy Education 8 (1): 1-25.
BANDURA, A. (1977)“Self-efficacy: Toward a Unifying Theory of Behavioral Change” Psychological Review 84 (2) 191-215.
PINTRICH, P.R., SCHUNK, D.H. (1996) Motivation in Education: Theory, Research, and Applications. Prentice Hall, Englewwod Cliffs.
MACEDO, I.C. (2009) “Crenças de auto eficácia de professores do ensino fundamental e sua relação com percepções de apoios na escola”. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina.
COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS, J. (orgs.) (2004). Desenvolvimento psicológico e educação. 2ªed. Porto Alegre: Artmed, v.3.
GOMES, M. (org.). Construindo as trilhas para a inclusão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009 (Coleção Educação Inclusiva).
 

Clique para consultar os requisitos para SLC0630

Clique para consultar o oferecimento para SLC0630

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP