Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação
 
Matemática
 
Disciplina: SMA0366 - Metodologia de Ensino de Matemática II
Teaching Methodology in Mathematics II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
São objetivos específicos, da disciplina, que o licenciando: adquira uma visão geral dos conteúdos matemáticos que se destinam ao Ensino Médio; tenha condições de programar cursos em qualquer nível e de avaliar atividades docentes no campo da Matemática; desenvolva aptidões adequadas para aplicar métodos e técnicas destinadas a situações de aprendizagem em Matemática.
 
The main aims of this discipline are that future mathematics teachers: acquire an overview of mathematics contents for High School; develop the abilities for programming courses in any level of knowledge and evaluate teaching activities in basic mathematics; apply methods and techniques to learning situations in mathematics.
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5520490 - Ma To Fu
 
Programa Resumido
O currículo de Matemática no Ensino Médio. Planejamento de atividades didáticas e elaboração de material didático convencional e alternativo. Projetos integrados.
 
Mathematics curriculum in High School. The planning of didactical activities. Assessment of learning. Developing didactical materials for High School. Integrated Projects.
 
 
Programa
O Currículo de Matemática no Ensino Médio. Tratamentos dos conteúdos do Ensino Médio nas perspectivas das tendências metodológicas de ensino de Matemática, resolução de problemas, investigações em sala de aula, modelagem e etnomatemática. Planejamento de atividades didáticas e elaboração de materiais didáticos alternativos para o Ensino Médio. Avaliação da aprendizagem no Ensino Médio. Projetos integrados aos estágios, que visem o estudo da relação teoria-prática, com propostas de planejamento e avaliação, reflexões e narrativas, sobre situações a serem (ou já) vivenciadas em salas de aula da Escola Básica. Uso de diferentes linguagens por meio das tecnologias de comunicação e informação no ambiente educativo visando a produção de conhecimento que compõem a leitura e a redação de textos relativos à disciplina.
 
Mathematics Curriculum in High School. Methodologies for teaching mathematics: problem solving, modeling and ethnomathematics. Planning educational activities and development of alternative learning materials for High School. Assessment of learning in high school. Integrated projects. Using different languages by means of information and communication technologies in the educational environment aimed at producing knowledge that make reading and writing texts related to the discipline.
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas e dialogadas para a introdução e síntese de conteúdos. Problematização das leituras indicadas. Discussões e outras atividades tendo como referência a literatura concernente, a consideração da realidade das escolas brasileiras e o exame de diversos materiais.
Critério
Instrumentos de avaliação do aluno: elaboração de resenhas e sínteses dos textos base, observando qualidades textuais como: coerência, coesão, clareza, concisão e correção gramatical. Seminários referentes aos textos base. Utilização de recursos das TICs para elaboração dos trabalhos, que deverão contemplar as qualidades textuais. Prova dissertativa e/ou Relatório da Disciplina a critério do professor. Participação nas atividades da aula.
Norma de Recuperação
Número de provas: no mínimo uma (01) e no máximo duas (02) provas.
Critério de aprovação: a nota final (MF) do aluno que realizou provas de recuperação dependerá da média do semestre (MS) e da média das provas de recuperação (MR), como segue:
MF=5 se 5 <= MR <= 10 - MS;
MF = (MS + MR) / 2 se MR > 10 - MS
MF = MS se MR < 5.
 
Bibliografia
     
Livros Textos: 
BICUDO, M.A.A V. (org.) Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e Perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 1999.
BORBA, M.C. & PENTEADO, M.G. Informática e Educação Matemática. Coleção Tendências em Educação Matemática, Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2001.
BRASIL (país). LEI Nº 13.415, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017. Altera a Leis nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece estabelece as diretrizes diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acessado em 03/05/2019.
BRASIL (País) Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acessado em 24/03/2019.
BRASIL (País) INEP. Sistema de avaliação da educação básica – Edição 2017. PROJETO BÁSICO – V.6. Disponível em download.inep.gov.br/educacao_basica/saeb/.../projeto_basico_SAEB_2017_V6.pdf. Acessado em 16/01/2018.
BRASIL (País) Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM). Disponível em http://portal.mec.gov.br/programa-saude-da-escola/195-secretarias-112877938/seb-educacao-basica-2007048997/12598-publicacoes-sp-265002211.Acessado em 22/01/2018.
BRASIL.(país) Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação
Integral. – Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.(Ensino Médio). Disponível em http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. Acessado em 03/05/2019.
CASTRO, A.D. de & Carvalho, A.M.P. de (orgs.). Ensinar a ensinar:didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira, 2001.
D'AMBRÓSIO, U. Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. Coleção Tendências em Educação Matemática-ed. Autêntica- Belo Horizonte, 2001.
FIORENTINI D. e MIORIM, A. M. (organizadores).  Por trás da porta, que matemática acontece? Campinas, SP: Editora Graf. FE/Unicamp, Cempem, 2001.
GRANVILLE, M. A. (ORG) Sala de aula: ensino e aprendizagem. Campinas: Papirus, 2008.
BARBOSA, Jonei C. Modelagem Matemática e os professores: a questão da formação. Bolema -39, Rio Claro n. 15, p.5-23,2001.
LIBÂNEO, J.C. Tendências Pedagógicas na Prática Escolar. In: Democratização da Escola Pública. São Paulo: Ed. Loyola, 1984.
ONUCHIC, L. R. . Ensino-aprendizagem de Matemática através da resolução de Problemas. In: Maria Aparecida Viggiani Bicudo. (Org.). Perspectivas em Educação Matemática. São Paulo: Editora da UNESP, 1999, v. único, p. 199-218.
PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999. 
PONTE, J. P.; BROCARDO, J.; OLIVEIRA, H.  Investigações Matemáticas na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. 
Revistas e Periódicos. Bolema. Departamento de Matemática, IGCE, UNESP, Rio Claro. Boletim do GEPEM. Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação
Matemática, Rio de Janeiro. Educação Matemática em Revista. SBEM, São Paulo. Estudos em Psicologia da Educação Matemática. Mestrado em Psicologia Cognitiva, UFPE, Recife. Revista do Professor de Matemática. SBM, Rio de Janeiro. Temas e Debates. SBEM, Rio de Janeiro. Zetetiké. Círculo de Estudo, Memória e Pesquisa em Educação Matemática, Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas.
SANMARTÍ, N, Avaliar para Aprender, Porto Alegre: Artmed, 2009.
SÃO PAULO (estado) Proposta Curricular para o Ensino de Matemática 2º grau (CENP) Secretaria de Estado da Educação, 2a ed, São Paulo, 1991.
SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas. “Oficinas temáticas no ensino público: formação continuada
de professores” coordenação de Maria Eunice Ribeiro Marcondes. - São Paulo: FDE, 2007. 108 p.
SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Matemática e suas tecnologias / Secretaria da Educação; coordenação
geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Nilson José Machado. – 1. ed.  São Paulo: SE, 2012.72 p.. Disponível em
http://www.educacao.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/783.pdf. Acessado em 20/01/2018.
SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Matrizes de referência para a avaliação SARESP: documento básico/ Secretaria da Educação; coordenação geral,
Maria Inês Fini; coordenação de área. São Paulo/SSE. 2009.
VEIGA, I. P., Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediata. IN VEIGA, I. P. (ORG) Gêneses, dimensões, princípios e práticas. Campinas, SP: Papirus. 2008.
WOODS, Peter. Investigar a arte de ensinar. Trad. M. Isabel Real Fernandes de Sá e M. José Álvarez Martins. Porto: Porto Editora, 1999.
ZABALA, A. A Prática Educativa: como ensinar, Porto Alegre: Artmed, 1998, capítulo 8.
Complementares: 
Coleção de Livros didáticos de Matemática do ICMC. PIMENTA, S.G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 4a ed, São Paulo: Cortez, 2001.
 

Clique para consultar os requisitos para SMA0366

Clique para consultar o oferecimento para SMA0366

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP