Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Teoria Literária e Literatura Comparada
 
Disciplina: FLT0226 - Correntes Críticas II
Critic Tendencies II

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2009 Desativação:

Objetivos
Estudo das principais teorias literárias do século XX, numa perspectiva histórica, crítica ou comparativa, com o objetivo de propiciar ao aluno uma formação ampla e consistente para a fundamentação de sua atividade como leitor, crítico e professor de literatura.
 
 
 
Programa Resumido
a) Formalismo Russo
b) Estilística
c) New Criticism
d) Estruturalismo
e) Crítica Genética
f) Hermenêutica
g) Estética da Recepção
h) Teorias Dialéticas
i) Pós-Estruturalismo
 
 
 
Programa
No período de matrícula, o programa detalhado, específico de cada professor, estará disponível no mural e no site do departamento.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas (teóricas) e exercícios de análise e interpretação de textos literários (prática).
Critério
a) Presença e participação em aula
b) Capacidade analítica e interpretativa
c) Clareza de exposição
d) Citação adequada das fontes consultadas
Norma de Recuperação
Conforme a legislação vigente
 
Bibliografia
     
a)
BERNARDINI, Aurora – “Formalismo russo: uma revisitação”. In: Literatura e sociedade 5, Revista do DTLLC-FFLCH-USP, 2002.
CHKLÓVSKI, Victor e Outros –Teoria da literatura. Formalistas russos. Porto Alegre, Globo, 1973.
EHRLICH, Victor - Russian Formalism. History - Doctrine (Haia: Mouton, 1980)
JAKOBSON, Roman – A geração que esbanjou seus poetas. São Paulo, Cosacnaify, 2006.
POMORSKA, Krystyna – Formalismo e futurismo. São Paulo, Perspectiva, 1972.
PROPP, Vladímir – Morfologia do conto maravilhoso. Trad. Jasna Sarhan. Rio, Ed. Forense-Universitária, 1984.

b)
ALONSO, A. – Matéria y forma en poesía. Madri: Gredos, 1955.
ALONSO, D. – Poesia espanhola (ensaio de métodos e limites estilísticos). Rio de Janeiro: INL, 1960.
AUERBACH, E. – Mimesis. São Paulo, Perspectiva, 2005.
CURTIUS, E.R. – Literatura Européia e Idade Média Latina. São Paulo, Edusp-Hucitec, 1996.
SPITZER, Leo – Lingüística e historia literária. Madrid: Editorial Gredos, s/d.
___________ – Três poemas sobre o êxtase. Trad. Samuel Titan Jr. São Paulo: Cosac & Naif, 2003.

c)
BROOKS, Cleanth – The Well Wrought Urn. New York, Harcourt, Brace and World, 1963.
ELIOT, T.S. – De poesia e de poetas. Trad. Ivan Junqueira. São Paulo, Brasiliense, 1991.
EMPSON, W. – Seven types of ambiguity. Nova York: New Directions, 1966.
FRYE, N. – Anatomia da crítica. São Paulo: Ed. Cultrix, 1973.
LEAVIS, F.R. Valuation in Criticism and Other Essays, edited by G. Singh, Cambridge University Press: Cambridge, 1986.
RANSOM, John Crowe – The New criticism. Norfolk, Conn., 1941.

d)
BARTHES, Roland – Elementos de semiologia. Tradução de Izidoro Blikstein São Paulo, Cultrix, 1971.
BARTHES, Roland e outros – Análise estrutural da narrativa:pesquisas semiológicas. Petropólis, Vozes, 1973.
GREIMAS. A.J. – Semântica Estrutural. Tradução de Haquira Osakabe e Izidoro Blikstein.São Paulo, Cultrix, 1973.
NIEL, André. – A análise estrutural de textos. Tradução de Álvaro Lorencini e Sandra Nitrini.São Paulo, Cultrix, 1978.
MARI, Hugo; DOMINGUES, Ivan e PINTO, Julio. – Estruturalismo (Memória e Repercussões) Rio de Janeiro, Diadorim, s.d.
TODOROV, T. – As estruturas narrativas. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo, Perspectiva (1969).

e)
CANDIDO, Antonio – Noções de análise histórico-literária. São Paulo, Humanitas, 2005.
GRÉSILLON, Almuth – Eléments de critique génetique - Lire les manus¬crites modernes. Paris, PUF, 1994.
SALLES, Cecília de Almeida – Crítica genética: uma introdução. São Paulo, Educ, 1992.
SPINA, Segismundo – Introdução à edótica: crítica textual. São Paulo, Cultrix/USP, 1977.
WILLEMART, Philippe. – O universo da criação literária. São Paulo: Edusp, 1993.
ZULAR, R. (org). – Criação em processo. São Paulo, Iluminuras, 2002.

f)
AMARAL, Maria C. P. Período clássico da hermenêutica filosófica na Alemanha. Edusp/Fapesp, 1994.
GADAMER, H.G. – Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis: Vozes, 1997.
JAUSS, Hans Robert – Pour une herméneutique littéraire. Paris, Gallimard, 1988.
RICOUER, P. – O conflito das interpretações. Rio de Janeiro: Imago, 1978.
SCHLEIERMACHER, Friedrich – Arte e técnica da interpretação. Trad. Celso Reni Petrópolis, Vozes, 2001.
STAIGER, E. – “A arte da interpretação” em Humboldt Ano 4, n. 9. Hamburgo: Ed. Ubersee-Verlag, 1964, pp. 10-32.

g)
ABREU, Márcia (org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2000.
ISER, W. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. Trad. Johannes Kretschmer. São Paulo: Ed. 34, 1996-1999. 2 vols.
JAUSS, H.R. – História da literatura como provocação à teoria literária. Trad. Sérgio Tellaroli São Paulo, Ática, 1994
LIMA, Luiz Costa (org.). A Literatura e o Leitor: textos de estética da recepção. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. (2ª ed., rev. e ampliada, 2002.)
MAYORAL, José Antonio (comp.). Estética de la recepción. Compilación de textos y bibliografía, José Antonio Mayoral. Madrid: Arco, 1987.
SULEIMAN, Susan R. & CROSMAN, Inge (eds.). The Reader in the Text: Essays on audience and interpretation. Princeton: Princeton University Press, 1980.

h)
ADORNO, Theodor W. – Notas de literatura I. Trad. Jorge de Almeida. São Paulo: Duas Cidades/34 Letras, 2003.
BENJAMIN, Walter – Obras escolhidas I, II e III. Vários tradutores. São Paulo, Brasiliense, 1986 a 1989.
JAMESON, Fredric – Marxismo e forma. Teorias dialéticas da literatura no século XX. Trad. de Iumna M. Simon e Ismail Xavier. São Paulo, Hucitec, 1985.
LUKACS, Georg – Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira. 1964.
SCHWARZ, Roberto. Que horas são? Ensaios. São Paulo, Companhia das Letras, 1987.
SZONDI, Peter – Teoria do Drama Moderno. Trad. Luiz Repa. São Paulo Cosac-Naify, 2001.

i)
ARANTES, Paulo E. – “Tentativa de identificação da ideologia francesa”. In: Novos Estudos Cebrap. São Paulo: Cebrap, n.28.
COELHO, Eduardo Prado (org.). Estruturalismo: antologia de textos teóricos: Foucault, Derrida, Lévi-Strauss, Althusser, Lacan, Sartre, Barthes, Sebag e outros. Lisboa: Portugalia, 1968.
CULLER, Jonathan – Sobre a desconstrução: teoria e crítica do Pós-estruturalismo. Trad. Patricia Burrowes. São Paulo, Rosa dos Ventos, 1997.
DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. Trad. Maria Beatriz Marques Nizza da Silva. São Paulo : Perspectiva, 2005.
MILLER, J. Hillis – Deconstruction and criticism. New York: The Seabury Press, 1979.
YOUNG, Robert (Ed.). – Untying the text. A post-structuralist reader. Boston, London: Routledge & Kegan Paul, 1981.


Bibliografia complementar:
A critério do professor responsável.
 

Clique para consultar os requisitos para FLT0226

Clique para consultar o oferecimento para FLT0226

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP