Apresentação
Tycho – Sistema de apoio à avaliação e a gestão institucional da USP
 

Tradicionalmente, os processos de elaboração dos diversos relatórios de avaliação de diversas instâncias administrativas e acadêmicas, consistem na solicitação de informações aos departamentos acadêmicos, aos docentes e a extração ad-hoc de dados da base de dados dos sistemas corporativos da USP.  Há uma dispersão de esforços para coleta, processamento e uso de dados em praticamente todos os Departamentos e Unidades, assim como nos Órgãos Centrais, com superposição de iniciativas não integradas, limitando possibilidades de relatórios gerencias amplos, completos e integrados, tornando todo o conjunto de atividades ineficiente, inefetivo e oneroso, além de sujeito a erros.

Esse cenário motiva a proposta de um sistema para apoiar a avaliação e a gestão institucional da USP cujo princípio básico é a integração dessas atividades de coleta de dados, avaliação, diagnóstico e planejamento que já existem na USP. O sistema pretende integrar indicadores, considerando as metas da Universidade e indicadores locais oriundos, por exemplo, dos departamentos, das Pró-Reitorias, da CPA, de forma a facilitar o uso destes indicadores sob diversos interesses e segmentos da Universidade: avaliação das atividades-fim, gestão acadêmica; concessão de claros; concessão de recursos financeiros; indução de ações; planejamento da infra-estrutura; avaliação do impacto social, entre outros.

Desenvolvido de forma incremental e evolutiva, com os princípios de software livre, o sistema deverá contar também com recursos para coletar dados de fontes externas à universidade de forma a viabilizar a comparação de indicadores entre universidades, podendo ainda contribuir para a gestão acadêmica de outras instituições, além da USP.

Numa primeira fase, a coleta de informações utilizará a base de dados corporativos existentes nos sistemas centrais mantidos pelo Departamento de Informática da Reitoria (DI), do Currículo Lattes e dos Grupos de Pesquisa do CNPq

O nome proposto homenageia o nobre dinamarquês Tycho Brahe, astrônomo, astrólogo e alquimista, que “percebeu que o progresso da ciência da astronomia poderia ser conseguido não com observações aleatórias e ocasionais, mas apenas através de sistemática e rigorosa observação, noite após noite e com o uso de instrumentos com a maior acuidade possível.” Seus dados, acumulados durante décadas, permitiram que seu assistente, Johannes Kepler, deduzisse as leis do movimento planetário.


Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação / Universidade de São Paulo